TESTE DE
INTOLERÂNCIA
ALIMENTAR

Estudos recentes apontam que mais de 40% da população brasileira apresenta algum sintoma de intolerância alimentar e sequer desconfiam disso, possuem enxaqueca, artrite, alterações dermatológicas, fadiga, depressão, transtornos gastrointestinais como a síndrome do cólon irritável ou mesmo o sobrepeso e a obesidade e acabam tratando o sintoma e não a sua causa, pois estes desconfortos ou até mesmo doenças podem estar ligados diretamente ao hábito alimentar e a intolerância à algum alimento.

O Food Detective, desenvolvido em Cambridge (Inglaterra), visa identificar o nível de intolerância de 59 alimentos e acompanhado de orientação profissional adequada para a sua substituição e reintrodução, se for o caso.

Se você possui sintomas crônicos e não sabe a sua causa, agende e faça um teste de intolerância alimentar, esta pode ser a solução.

FAQ - PERGUNTAS FREQUENTES

Qual é a diferença entre Alergia e Intolerância Alimentar?

As alergias alimentares são reações imunológicas do corpo à algum alimento específico, isso é, o organismo ataca aquela substância considerada estranha basicamente do mesmo modo como faz com um micro-organismo agressor, acionando todo o seu sistema de defesa, são identificados com a medição das Imunoglobulinas E (IgE). Um exemplo disso são pessoas que já tiveram choque anafilático após comerem camarão, normalmente a reação alérgica é mais rápida e intensa.

Já as intolerâncias alimentares são menos conhecidas e apresentam uma manifestação mais tardia e menos intensa do que as alergias, por isso são mais difíceis de serem diagnosticadas ou mesmo confundidas com outras patologias, neste caso, a substância do alimento que não é digerida pelo organismo tende a se acumular, provocando diversos sintomas, normalmente inflamatórios. O mais frequente são as pessoas conviverem com a intolerância alimentar e com todas suas consequências indesejáveis por toda a vida, podem ser identificadas com a medição das imunoglobulinas G (IgG), processo feito em nosso teste.

O que é Imunoglobulina G ou IgG

As Imunoglobulinas, mais conhecidas como os nossos anticorpos, são as globulinas com função imunológicas, proteínas especiais e altamente especializadas com função de defesa do organismo.

Das 5 classes a IgG é a mais abundante (aproximadamente 85% das imunoglobulinas do nosso corpo), ela nos propicia uma imunidade mais efetiva e duradoura (meses e anos – ou mesmo de toda a vida para algumas doenças); são específicos para cada doenças, ou seja criamos um anticorpo para cada uma.

Em nosso teste avaliamos 46 delas para identificar as substâncias presentes em 59 dos principais alimentos que costumamos ingerir.

Existe idade mínima para fazer o teste?

Sim, a idade mínima para realização do teste é de 3 anos, para que a criança tenha provado os mais diversos alimentos e o organismo possa manifestar com reação de intolerância.

O teste me ajuda a emagrecer?

O objetivo do teste em si não é a perda de peso, mas identificar alimentos causadores dos sintomas de intolerância alimentar para auxiliar no tratamento, e consequentemente, no bem estar do paciente. O sobrepeso e a obesidade são sintomas relacionados, porém isso não significa que todo paciente que tem intolerância alimentar tem tal consequência.

Quanto tempo leva para realizar o teste?

Em torno de 1 hora para ficar pronto o resultado e receber as orientações nutricionais.

Eu tenho evitado um alimento por meses/anos, isso afetará meu resultado?

Sim, pois o teste de intolerância alimentar IgG é baseado no seu sistema imunológico e produção de anticorpos em resposta ao seu consumo de determinados alimentos. Se você tem evitado um alimento específico, seu corpo pode estar produzindo anticorpos insuficientes para serem identificados no teste e assim, possa ter um falso resultado negativo.

Para assegurar um resultado confiável, você deve incluir novamente esse alimento em sua dieta diária, pelo menos seis semanas antes de fazer o teste. No entanto, se você já sabe que esse alimento te causa sintomas severos não o reintroduza de modo algum.

O teste identifica ‘Intolerância à Lactose’?

Não, pois o teste identifica quais alimentos o corpo reage com intolerância levando em consideração às suas proteínas presentes. Como a Lactose é um açúcar (carboidrato), o teste não identifica intolerância à lactose.

Vale ressaltar que a intolerância à lactose acontece como consequência de um outro problema: a deficiência de enzima lactase, que é a falta de capacidade parcial ou completa do organismo digerir o açúcar existente no leite e seus derivados. Ocorre quando o organismo não produz, ou produz em quantidade mínima, esta enzima digestiva, que quebra e decompõe a lactose, ou seja, o açúcar do leite.

O teste inclui consulta nutricional?

Não, mas após a o resultado do teste haverá a orientação nutricional adequada para que entenda quais são os alimentos que possui intolerância e como poderá substituí-los, isso não impede que agende também uma consulta nutricional para que tenha uma prescrição de um plano alimentar funcional e individualizado.

O teste tem contra indicações?

Sim. Não é recomendada a realização do teste apenas em pacientes que sofram de alguma doença de coagulação sanguínea.

Intolerância é uma doença adquirida com o tempo ou nascemos com predisposição para?

Intolerância é um processo que que se adquire com o tempo e está intimamente ligada ao processo de irritação e inflamação da mucosa intestinal provocado por proteínas de alimentos, aumentando a permeabilidade a macromoléculas. Essas macromoléculas entram na circulação, são neutralizadas por anticorpos IgG - formam imunocomplexos e se não forem destruídos por macrófagos, ficam na circulação e são depositados nos tecidos, por um processo de homologia estrutural, levando a processos inflamatórios. Atualmente a literatura medica descreve mais de 150 destes processos, por isto chamamos de intolerância, alergia tardia, hipersensibilidade e incompatibilidade.

Esta intolerância é para o resto da vida?

Não. Este processo é revertido após identificação do alimento e exclusão do mesmo da dieta por no mínimo 90 dias para recuperação da mucosa intestinal (flora e microbiota intestinal). Posteriormente, deve-se alternar a ingestão deste alimento com outros do mesmo grupo na pirâmide alimentar. É importante observar hábitos, vícios e costumes, frequência e quantidade com o qual o paciente ingere os alimentos podendo evitar refeições monótonas.

Quem tem intolerância a milho pode ter os mesmo sintomas caso ingira amido de milho?

Sim. Apesar do amido de milho ser um carboidrato, o processo de obtenção desse componente passa por moer o milho junto com a proteína existente no alimento. Tal procedimento ocorre também com o trigo e a farinha.

Contato

Inscreva-se na minha lista VIP para receber dicas de alimentação.
EU QUERO!